Entretenimento

  • Home
  • Entretenimento
Justiça nega prisão de William Bonner: “Delírios negacionistas”, escreveu a juíza
Cultura / 17 Janeiro 2022 / 576 Views

Justiça nega prisão de William Bonner: “Delírios negacionistas”, escreveu a juíza

O Juizado Especial Criminal de Taguatinga, do Tribunal de Justiça do Distrito Federal e dos Territórios (TJDFT), negou um pedido inusitado de prisão do jornalista William Bonner, neste domingo (16/1).

Autor do pedido, o advogado Wilson Issao Koressawa entrou com o mandado de segurança cível contra Bonner porque o apresentador do Jornal Nacional, da TV Globo, incentiva a vacinação contra a Covid-19.

Koressawa alegou, no pedido apresentado ao TJDFT, que o jornalista comete os crimes de indução de pessoas ao suicídio, de causar epidemia e de envenenar água potável, substância alimentícia ou medicinal destinada a consumo. Tudo isso porque Bonner faz declarações públicas sobre os impactos positivos da imunização no combate à pandemia.

Na decisão, a juíza Gláucia Falsarella Pereira Foley chamou o pedido do advogado de descabido. E com razão: para começar, apenas por meio de uma ação penal pública, proposta pelo Ministério Público, poderia se pedir a prisão de alguém pelos crimes citados.

A magistrada disse que, “como fundamento, [o autor] reproduz teorias conspiratórias, sem qualquer lastro científico e jurídico, esvaziando seu texto em mera panfletagem política”.

“O Poder Judiciário não pode afagar delírios negacionistas, reproduzidos pela conivência ativa – quando não incendiados – por parte das instituições, sejam elas públicas ou não. Além disso, a decisão do Supremo Tribunal Federal, na ADPF 130/DF, consagrou o entendimento de que o exercício da liberdade de imprensa assegura ao jornalista o direito de expender críticas a qualquer pessoa, especialmente contra autoridades e agentes do Estado. Para Eugênio Bucci, aliás, mais do que direito do jornalista, a liberdade de informação é direito do cidadão e dever da imprensa”, escreveu a juíza.

Além da prisão de Bonner, o advogado pedia a suspensão da “vacinação obrigatória em todo o país, principalmente de crianças e de adolescentes, bem como da exigência do passaporte sanitário, até que sejam realizados exames periciais dos componentes de todas as vacinas”. A magistrada que analisou o pedido determinou o arquivamento do processo.

Na postagem da selfie, legendada apenas com a data de ontem, centenas de seguidores deixaram mensagens de apoio ao jornalista da Globo, que desde o início da pandemia defende na TV os protocolos de prevenção, os cientistas e a vacinação.

“Essa seria a sua foto da prisão, tio? Kkkkkkkk”, ironizou um usuário. “Que bom que não vai ser preso por incentivar a vacina! Que país é esse? ”, postou um admirador. “Absolvido, tio Bonner”, debochou outro internauta.

William Bonner usou as redes sociais para debochar do processo que o acusava de fazer parte de uma organização criminosa em prol da vacinação de crianças contra a covid-19. A ação foi rejeitada pelo Tribunal de Justiça do Distrito Federal (TJDFT).

BomFm – André Bomfim com informações da coluna de Mônica Bergamo/A Folha.

Foto: Divulgação.                                                           

Ouça a nossa rádio, basta apertar o play. Inscreva-se também no YouTube e ative as notificações, siga-nos no Twitter, Facebook, Instagram, Telegram (@bomfmoficial) e no nosso contato: WhatsApp (73) 9.9974-5576. Você bem informado (a).

Tags: Jequié, Bahia, Brasil, BomFm, Notícias, Wilian Bonner, Prisão, Covid-19.